casal - imagem post

 Para salvares a tua relação de casal ou o que resta dela!

Parece improvável ou até excessivo pensar que a nossa relação de casal depende da relação com os filhos, mas sim, depende! Quando há filhos, claro!

A relação de casal, além de outros fatores ou variáveis que influenciam a qualidade da mesma, vive todos os dias, 24h por dia, 7 dias por semana, 30 dias por mês, 365 dias do ano, com a existência e gestão educativa dos filhos, mesmo que eles não estejam em presença física.É muito tempo. É muita gestão de feitios, de vontades e manifestações. É muito!

Estás a conseguir viver com qualidade a tua família ou sobrevives a cada dia?

– Quem já teve o fim de semana a DOIS ‘contaminado’ pelas mensagens/ contactos com os seus filhos adolescentes? Já para não falar das saídas e férias com adolescentes ‘bem-dispostos’…

– Quem regressa sistematicamente ao tema dos filhos adolescentes com  o/a companheiro/companheira?

– Quem torna as chatices dos filhos recorrentes, e até tema exclusivo?

– Quem consegue ‘desligar a ficha’ depois das discussões ‘à volta dos filhos’?

Esta permanência intoxica qualquer relação íntima, que quer paz, proximidade, alegria e entusiasmo.

– Ainda se lembram do que vos apaixonou no/pelo outro? Isso ainda está presente?

– Quanto vale o teu casamento, tenha ele o formato ou designação que tiver?

Para viveres uma relação afetiva Mais feliz e de proximidade com o/a teu/tua companheiro/a, precisas de resolver outras fontes de conflito e de tensão na família. E, segundo a minha experiência com as minhas clientes, a maior fonte de tensão está relacionada com a gestão educativa, muitas vezes divergente, e que acentua o afastamento do casal, pois cada dia que passa em desunião é mais um dia que escurece a relação, que a torna a preto e branco, que lhe retira alegria e cor. As relações alimentam-se de pontos em comum e de vivências felizes. Se o padrão se torna de desunião, a tendência é para se agravar.

Ainda faz sentido para ti? Se sim, partilho que as relações precisam de alimento, de nutrição que promova a conexão, pois um casal unido conseguirá viver a congruência parental, o sentido educativo para a harmonia e felicidade familiar.

Uma dica importante para Transformares um contexto de conflitualidade:

– assunto tratado, assunto arrumado!

Não voltar a falar sobre isso, e se o fizerem que seja para projetar aprendizagem e como fazer diferente numa próxima vez. Avançar para novos estares, mesmo que não tenham estado de acordo, pois, em cada momento que repetimos a história vivida, ela volta a ganhar emoção e afeta seguramente a relação com a/o adolescente e no casal, que não vê espaço para a sua própria história íntima, a dois.

Faz sentido para ti?

Para saberes mais como te posso ajudar, e sobre como Transformar a Relação com @ Teu Adolescente e viveres mais harmonia e felicidade na tua família, agenda uma sessão de planeamento gratuita comigo em:

www.andreiacarvalho.com/agendar

Abraço